Churrasco Argentino Profissa

Quem já provou o tradicional churrasco argentino, chamado de “assado”, sabe que há uma diferença grande no sabor. E isto não se deve apenas ao tipo de carne usada, como também ao seu preparo. Vale a pena experimentar! Por isso hoje vamos dar algumas dicas para que você prepare um excelente churrasco argentino.

Se possível, opte por carnes argentinas ou uruguaias, que são as mais apropriadas para este tipo de preparo. Uma vez escolhida a carne, entenda que o churrasco que você vai fazer hoje será com outra mentalidade: o foco será no fogo, e não na carne. É através do fogo que eles administram um bom churrasco.

Normalmente, argentinos preferem assar a carne em “Parrillas”, uma grelha suspensa e inclinada. O motivo é que nas parrillas, quando a gordura da carne escorre, ela não pinga na brasa, criando labaredas. Como manter a temperatura sempre igual é uma parte importante do processo e o preparo deve ser feito apenas na brasa, as labaredas podem comprometer o resultado final.

Este é seu foco principal: a temperatura sempre estável, sempre igual. Se você vai utilizar uma churrasqueira, é preciso que fique atento a labaredas que aumentem a temperatura ou atinjam a carne. Mas você não precisa de uma parrilla para isso, basta um copo com água e sal e uma colher para resolver esse problema: pingou gordura e surgiram uma labaredas? Jogue uma colher do líquido por cima da carne para apaga-la.

Temperar a carne é a parte mais simples de todas, leva poucos segundos, isto porque temperar a carne significa apenas colocar sal, pouco tempo antes (cerca de meia hora) de colocar a carne na grelha. Nada de marinadas, ervas, alho, molhos ou outros condimentos. E não estamos falando de sal grosso, tempere a carne com sal fino ou, se preferir seguir à risca os ensinamentos dos Hermanos, use o chamado “sal de parrillero”, um intermediário entre o sal fino e o grosso. Não corte a carne. Não tire a gordura. Não fure, não aperte. Apenas salgue e coloque no fogo. Mexa na carne o mínimo possível, ou, como eles mesmos brincam: “deixe a carne em paz!”.

Para acender o fogo, você deve ter paciência. No churrasco argentino, o fogo é uma arte. A base é que a temperatura seja sempre a mesma durante todo o churrasco, algo que, sem prática, nem sempre é fácil de conseguir. Utilize carvão misturado com lenha e comece acendendo o fogo em um dos cantos da churrasqueira. Depois espalhe as brasas por igual e só coloque a carne na grelha quando estiver na temperatura correta, que explicaremos mais adiante.

Como já vimos aqui, não é indicado usar líquidos inflamáveis para acender o fogo. Você pode fazer uma mistura de jornal (ou outro tipo de papel) e carvão e lenha, colocando uma camada de cada, de modo que a combustão rápida do papel crie o fogo necessário para queimar o carvão e a lenha. Se possível, evite madeiras resinosas, como por exemplo, o pinho, cuja fumaça não costuma deixar um sabor agradável na carne. A grelha deve estar a aproximadamente 15cm de altura da base da churrasqueira.

Aqui o processo fica mais detalhista. Não basta acender o fogo e colocar a carne. Em primeiro lugar, a carne deve ser cozinhada apenas na brasa, e observando que toda a churrasqueira tenha a mesma temperatura constantemente. Em segundo lugar, é preciso avaliar se temos a temperatura ideal.

Para isso, coloque as mãos logo acima da grelha (bem próximo) e veja quanto tempo consegue manter as mãos ali. A temperatura estará ideal para o churrasco quando você suportar entre cinco a dez segundos. Se tirar a mão antes está quente demais, se tirar depois está fria demais. Tenha paciência, acender o fogo e encontrar a temperatura ideal costuma levar entre meia e uma hora. Quando encontrar a temperatura ideal, certifique-se de mantê-la durante todo o churrasco. A carne demora um pouco mais para cozinhar, mas o resultado final vale a pena!

A carne se vira apenas uma vez, ou seja, quando a metade de baixo carne estiver dourada na parte de baixo, vire e deixe dourar na parte de cima. Depois disso, estará pronta para servir. Lembre-se: deixe a carne em paz. Não fure, não corte, não aperte. Para criar aquela casquinha que mantém os líquidos (ou seja, sabor e suculência) do lado de dentro, e essencial que se mexa nela o mínimo possível.

Pronto. Com um mínimo de dedicação à carne e um máximo de dedicação ao fogo você vai preparar um churrasco com sabor diferente que vai encantar seus convidados!

Etiquetas: , ,

Desenvolvido por Agência BMC