O Entrecôte Perfeito

O nome é francês, por ser um corte muito usado na culinária deste país, mas o Entrecôte é um corte típico do churrasco argentino. Como o próprio nome diz, é um corte que se localiza entre as costelas do boi. Também é conhecido como “Filé de Costela”, “Noix”, “Bife Ancho” ou “Club Roll”, dependendo do país no qual é comercializado.

O Entrecôte se assemelha ao nosso contrafilé, mas, na verdade, é a “continuação” dele. Ambos estão no quarto traseiro do boi, ou seja, no “lombo” do boi, na parte superior e frontal. É uma região que não faz muito esforço, portanto, de carne macia.

O Entrecôte e o contrafilé estão próximos, mas é bem fácil diferenciar um do outro: eles são separados pela capa de gordura do contrafilé. O Entrecôte não tem capa de gordura, tem gordura entremeada na carne, o que o torna um corte mais macio e saboroso. Então, quando começa a capa de gordura, deixa de ser Entrecôte e passa a ser contrafilé.

Justamente por ser uma carne muito saborosa, o Entrecôte não precisa de muito condimento ou molhos. Normalmente ela é preparada apenas com sal, mas, se você quiser variar, pode acrescentar pimenta do reino ou um pouco de alecrim. Há quem prefira só salgar a carne depois de pronta, para preservar ao máximo sua suculência e maciez.

Ao contrário do contrafilé, que pode ser assado em tiras, o ideal é preparar o Entrecôte em medalhões grossos e assá-lo em altas temperaturas. A carne deve ser cortada com, pelo menos, dois dedos de grossura e selada em fogo alto por dois minutos (ou até que forme aquela crosta marrom na parte externa) para que retenha o líquido.

Após selado, este corte deve ser assado em altas temperaturas, porém sem labaredas, apenas em brasa forte, por, no máximo, cinco minutos. Para obter o melhor do seu sabor e suculência, também se recomenda que esta carne seja servida mal passada ou, no máximo, ao ponto.

E depois de retirar a carne do fogo, deixe-a descansar por alguns minutos, para que as fibras em seu interior relaxem e retenham líquido que faz dela um corte tão suculento.

Apesar de a regra ser assar este corte em bifes grossos, ele também funciona muito bem em cubos, para espetinhos. O resultado é uma carne macia com sabor marcante que não é ofuscado pelos outros elementos.

Este é um corte que não pode faltar no seu churrasco, pois é uma rara combinação de maciez, suculência com sabor.

Etiquetas: , ,

Desenvolvido por Agência BMC